textos

Arthur Nestrovski

Eucanaã Ferraz é nosso poeta mais musical, em vários sentidos do termo. Não apenas pela característica música de sua própria poesia, com as inesperadas quebras de ritmo e surpresas de sentido; mas pelo tanto que conhece e o tanto que já fez com música e músicos, seja como curador de espetáculos, seja como organizador de livros de Caetano Veloso, Vinicius de Moraes e Adriana Calcanhotto, entre outros, com destaque para uma antologia de letras de canção. Sem falar nas próprias letras – e posso atestar, com orgulho de parceiro, sua suprema habilidade de encontrar palavras exatas para os contornos de uma melodia. 

Para um poeta desses, não poderia haver maior alegria, passando dos sessenta anos, do que ser musicado por um compositor de quarenta, uma geração adiante. Neste disco, Gabriel Fernandes traduz seis poemas de Eucanaã para uma outra dimensão, musical e espacial (se se pode falar em espaço para descrever a música). Entremeadas com elas, estão três antológicas leituras de poemas pelo autor, contrastando, no rigor da fala e no silêncio de fundo, com os líricos e dramáticos cenários musicais eletrônicos do resto. Parodiando um auto-retrato de Eucanaã, de Retratos com Erro: “Quando você é a música e a música é você”. Este não é um álbum de canções. É um disco de poesia.


Arthur Nestrovski

julho/2023


Arthur Nestrovski é músico, consultor de orquestras e gestor cultural. Foi diretor artístico da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp), de 2010 a 2022 e também diretor artístico do Festival de Inverno de Campos do Jordão, de 2012 a 2022. Lançou, entre outros, os CDs solo Jobim Violão, Chico Violão e Violão Violão, o DVD O Fim da Canção (com Wisnik e Luiz Tatit), e dois CDs de canções com Lívia Nestrovski: Pós Você e Eu e Sarabanda. www.arthurnestrovski.com.br